Preciso passar por cirurgia ortopédica, e agora? É seguro operar durante a pandemia?

 Em Sem categoria

Equipe SCIH do Hospital Ortopédico AACD

Dra. Ana Lúcia Munhoz Lima, Dra. Priscila Rosalba Domingos de Oliveira, Dr. Vladimir Carvalho e enfermeira Cristiane Severino Romero 

 

Com a pandemia da Covid-19 ainda com números consideravelmente altos no Brasil, é compreensível que muitas pessoas tenham reavaliado a necessidade ou remarcado seus procedimentos cirúrgicos eletivos. Decidir sobre passar por uma cirurgia agora é desafiador e as dúvidas são normais nesse momento de instabilidade.

 

No Hospital Ortopédico AACD, buscamos minimizar qualquer tipo de risco. Deixar de realizar procedimentos que são extremamente importantes para a qualidade de vida dos pacientes pode acarretar em prejuízos. Gostaríamos de dar algumas informações e esclarecer dúvidas sobre o tema:

 

1- Protocolos de segurança ajudam a prevenir a circulação do vírus e aquisição da infecção?

Dados da literatura médica mostram que a chance de contrair Covid-19 durante uma internação para cirurgia eletiva é baixa, mas há um risco maior para pacientes que operam no momento em que estão com a infecção ativa. Por isso, é fundamental uma triagem rigorosa antes da internação, para evitar que pessoas infectadas passem por qualquer procedimento cirúrgico.

 

No Hospital Ortopédico AACD essa prevenção é prioridade, e os protocolos de infecção hospitalar, que já eram rigorosos, foram intensificados desde o início da pandemia, em Março de 2020. Antes de qualquer internação, é feita uma rigorosa triagem por telefone com paciente e acompanhante, sendo obrigatória a realização de um exame RT-PCR, coletado até 72 horas antes da internação em ambos. Na chegada à AACD, há aferição de temperatura e o uso de máscara é obrigatório em todos os ambientes. O paciente é novamente triado por um médico e a internação só ocorre na ausência de sintomas sugestivos de Covid-19 e com os exames negativos para infecção ativa. As internações são sempre em acomodações individuais.

 

Caso o paciente apresente sintomas e teste positivo para Covid-19 já quando estiver internado, existem acomodações adequadas para o seu isolamento (em apartamento ou UTI, a depender da gravidade do caso), e toda equipe está preparada para realizar os cuidados necessários durante esse período.

 

Após a alta, os cuidados continuam, e o paciente recebe ligação e/ou mensagem telefônica para saber de seu estado de saúde e reforçar os cuidados.

 

2 – E quando é aconselhável o paciente operar?

É fundamental a avaliação completa do caso e conversa com a equipe médica para avaliar benefícios x riscos da operação e o melhor momento para realização. Também é importante falar com a família e amigos, para ter uma rede de apoio, que será ainda mais fundamental no pós-operatório, durante a reabilitação.

 

No caso das cirurgias ortopédicas, que usualmente são acompanhadas de dores constantes e/ou refratárias aos medicamentos ou não deixam o paciente dormir, descansar ou trabalhar, em muitos casos acarretando perda de função motora e atrapalhando suas atividades diárias, essas situações se classificam como cirurgias de “Urgência eletiva” ou “Eletiva essencial”, e devem ser realizadas no prazo de duas a oito semanas, de acordo com a orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), após avaliação e discussão do caso com o médico.

 

3 – Tive Covid-19 e tenho cirurgia programada. Qual melhor momento para operar?

Recomenda-se aguardar um período de tempo diferente de acordo com os sintomas e a gravidade do caso:

Assintomático ou sintomas leves – 4 semanas após início dos sintomas

Sintomático com internação em enfermaria ou apartamento – 8 semanas após início dos sintomas sintomático com internação em UTI – 12 semanas após início dos sintomas Observação: Se teve contato próximo com alguém infectado pelo coronavírus, deve-se aguardar pelo menos 14 dias. Quando for realizar a cirurgia, o paciente deve estar sem nenhum sintoma sugestivo de Covid-19.

 

4 – Há influência da vacinação na programação cirúrgica?

Todas as vacinas atualmente liberadas no país não possuem contraindicações para pacientes em pré ou pós-operatório. A recomendação, por precaução, é que se aguarde sete dias após a vacinação para se realizar o procedimento cirúrgico, e também que se tome qualquer vacina somente sete dias depois de uma cirurgia.

 

5 – Concluindo, é seguro realizar cirurgia ortopédica neste momento da pandemia?

Com triagem apropriada, uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados, avaliação completa do caso com a equipe médica e cuidados multidisciplinares de uma equipe formada por profissionais de saúde especializados é sim seguro realizar cirurgia ortopédica,​ em pacientes sem Covid-19, durante a pandemia. Para pacientes com a doença ativa, deve ser restrita a situações de urgência e emergência. No entanto, é importante que cada situação seja sempre avaliada de forma individual, ponderando benefícios x riscos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

dezessete − onze =

Volatr ao topo