Junho Verde: time de especialistas do Hospital Ortopédico AACD fala sobre a Escoliose

 Em Notícias

Por: Dr. Alexandre Fogaça Cristante, Dr. Alexander Junqueira Rossato, Dr. Maurício Coelho Lima, Dr. Olavo Biraghi Letaif, Dr. Paulo Tadeu Maia Cavali e Dr. Raphael Martus Marcon, médicos do Hospital Ortopédico AACD especialistas no tratamento da escoliose

Desde 1993 o Hospital Ortopédico AACD é referência no tratamento da Escoliose. No Junho Verde, mês de conscientização sobre a doença, nosso time de especialistas se reuniu para falar sobre

o assunto.

“Quanto antes forem indicados cuidado e tratamento, melhores as chances de uma boa correção, com melhor resultado cirúrgico, menores complicações, melhor recuperação e maiores chances de ganho funcional”. Confira a entrevista completa:

Por que é importante identificar o quanto antes e iniciar o tratamento da escoliose?
A demora no diagnóstico das escolioses pode dificultar o tratamento precoce efetivo. O diagnóstico tardio pode fazer com que uma deformidade que inicialmente poderia ser tratada de forma não cirúrgica (com coletes, órteses, fisioterapia, etc.) se torne uma deformidade de tratamento exclusivamente cirúrgico.

É importante destacar que, mesmo nos casos com indicação de tratamento cirúrgico da escoliose, quanto antes o cuidado e o tratamento forem iniciados melhores as chances de uma boa correção, com melhor resultado cirúrgico, menores complicações, melhor recuperação e maiores chances de ganho funcional.
Infelizmente, em casos de diagnóstico muito tardio e deformidade grave da coluna, pode haver contraindicação para a cirurgia porque os riscos podem superar os benefícios.

No caso de necessidade cirúrgica, qual a recomendação? Como é a recuperação após a cirurgia?
Havendo a necessidade de cirurgia para a correção da escoliose, recomenda-se que esta seja feita por equipe médica experiente em um hospital capacitado e preparado para esse tipo de cirurgia. A estrutura do hospital deve oferecer segurança a todos, especialmente ao paciente e sua família.

A recuperação da cirurgia é individual. Características de cada pessoa fazem com que a recuperação tenha ritmos, necessidades e recomendações particulares. O que se pode afirmar é que a cirurgia para correção de escoliose é cada vez mais segura, precisa e efetiva. Pode-se também dizer que pacientes e famílias ficam em sua maioria extremamente satisfeitos com os resultados cirúrgicos obtidos.

Quais são os tipos de escoliose?
Existem quatro tipos de escoliose: a idiopática, de causa desconhecida, que é o tipo mais comum, a congênita, que ocorre quando há uma malformação na coluna, a sindrômica, em que a pessoa tem uma síndrome e uma das manifestações é o desvio na coluna, e a neuromuscular, em que o paciente tem um problema neurológico ou muscular que compromete a sustentação do tronco e desenvolve um desvio da coluna.

E a escoliose no adulto, como costuma se manifestar?
A escoliose degenerativa, também conhecida como escoliose do adulto ou de início na idade adulta, é uma curvatura lateral da coluna causada pela degeneração das partes móveis da coluna vertebral. Ocorre lentamente com o tempo, a medida em que a pessoa envelhece. É bastante diferente da escoliose padrão de início na adolescência, mas não menos importante, pois pode causar dor e incapacidade funcional progressivas quando não diagnosticada e tratada adequadamente.

O processo pode ser acelerado por algumas patologias, como doença de Parkinson, fraturas vertebrais causadas por osteopenia/osteoporose avançadas ou mesmo secundárias a tumores vertebrais primários ou metastáticos.
Em geral, causa desconfortos como dor na coluna lombar baixa, com ou sem irradiação para glúteos e face posterior da coxa e da perna, além de formigamento, dormência e câimbra em membros inferiores.

O diagnóstico é realizado por exames físicos e de imagem diagnósticos. Podemos destacar entre os exames complementares a radiografia de toda a coluna, conhecida como RX panorâmico da coluna ou RX de coluna total.

DEIXE UM COMENTÁRIO

nove + 9 =

Volatr ao topo