Estudo inédito mostra eficiência da cirurgia multinível em pacientes com paralisia cerebral

 Em Notícias

Um estudo inédito e inovador feito pela AACD, já aceito pela renomada revista científica inglesa Gait &Posture, destaca a eficiência da realização de cirurgia multinível (com pelo menos três intervenções ao mesmo tempo) em pacientes com paralisia cerebral.

Foram avaliados 258 pacientes entre 7 e 26 anos que realizaram cirurgias no Hospital Ortopédico da AACD e, em média, a nota no sistema Gate Deviation Index (GDI) subiu de 51 para 58 (o GDI é um índice internacional que avalia a marcha. Vai de 0 a 100, sendo que, quando mais próximo de 100, menos comprometida está a marcha do paciente). Qualquer crescimento acima de 5% é claro ao paciente, ou seja, denota em uma perceptível melhor qualidade de vida.

Já o grupo de controle do estudo foram 88 pacientes que não realizaram cirurgia neste mesmo período. Nesses casos, em média, a nota no sistema GDI caiu de 59 para 57.

Todos os exames nos pacientes base desse estudo foram realizados pelo Laboratório de Marcha da AACD, localizado na sede da Instituição (bairro do Ibirapuera, em São Paulo). O tempo médio de avaliação dos pacientes foi de 30 meses.

O Hospital Ortopédico da AACD é pioneiro no Brasil na realização da cirurgia multinível em pacientes com paralisia cerebral, tendo realizado os primeiros procedimentos ainda na década de 90. A vantagem da cirurgia multinível é a possibilidade de corrigir diversas deformidades ao mesmo tempo, no mesmo ato cirúrgico, possibilitando ao paciente um único período de repouso e recuperação, em vez de realizar diversos procedimentos.

O estudo foi conduzido por uma equipe de médicos e terapeutas da AACD, sob a liderança do Dr. Mauro César de Morais Filho, cirurgião ortopedista da AACD. “A descoberta pode auxiliar as equipes médicas quando estiverem tratando pacientes com quadro similar, principalmente porque as chances do paciente desenvolver-se é bem maior. O estudo mostra que os pacientes, quando submetidos a correção simultânea das deformidades seguida da correta reabilitação pós-operatória, apresentam melhora da qualidade do andar”, afirma.

DEIXE UM COMENTÁRIO

doze + 2 =

Volatr ao topo