24 de julho, aniversário da Lei de Cotas (Lei nº 8.213/91 da Previdência Social) no Brasil

 Em Notícias

Por equipe de Psicologia adulto da AACD

A Lei de Cotas 8213/91 foi estabelecida na data de 24 de Julho de 1991 e visa assegurar o direito de inclusão profissional para pessoas com deficiência no Brasil. Podemos dizer que estamos em processo de construção acerca da importância de conquistar esse espaço no mundo, pois apenas 1% da população com deficiência está empregada . (Folha Dirigida, 2019).

Após 31 anos da Lei de Cotas, as pessoas com deficiência ainda são discriminadas e encontram obstáculos para ingressarem no mercado de trabalho. O levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos (DIEESE) mostra ainda que durante a pandemia houve uma piora nos índices de desemprego, sendo, assim, os PCDs também afetados.

Apesar da Lei, muitas empresas preferem pagar multas e não adotam programas eficientes de inclusão. É muito comum essas vagas serem preenchidas, mas a pessoa com deficiência permanece isolado na empresa, dado que aponta para necessidade de uma “verdadeira inclusão” e não apenas do cumprimento de uma Lei (falsa inclusão).

Existem muitas barreiras a serem rompidas. Por um lado, observamos o aumento de políticas públicas e o amadurecimento social para as questões de inclusão, mas por outro, nos deparamos com barreiras (atitudinais, de comunicação, metodológicas, instrumentais, tecnológicas e arquitetônicas) para efetivação dos direitos e condições de equidade para essa população (CREFITO 10, s.d.). Diante desse dilema a Lei de Cotas foi estabelecida para superar o assistencialismo excludente visando possibilitar inclusão.

A AACD por ser um Centro de Reabilitação que é referência nos cuidados para pessoas com deficiência física também acredita que seja fundamental investir nessas pessoas como um todo, buscando investir no individuo de forma integrada para que todos possam exercer seu papel de cidadão.

Por acreditar na importância que o trabalho ocupa na vida do ser humano a AACD definiu como seu propósito institucional “trabalhar nas frentes necessárias para que as pessoas com deficiência física possam atingir seu máximo potencial, evoluindo além de suas limitações e contribuindo para uma sociedade que acolhe melhor a diversidade” (AACD,2019).

Nesse processo, o papel do psicólogo é de auxiliar essas pessoas a retomarem seu processo de desenvolvimento pessoal, considerando a deficiência como uma de suas características pessoais, compondo a complexidade do seu ser. O Grupo Psicoprofissional foca em 04 eixos para o processo de desenvolvimento, sendo trabalhados em encontros através de dinâmicas e discussões desenvolvidas pelos psicólogos por meio de vídeos, filmes, reportagens, jogos e técnicas projetivas.

Conheça os 4 eixos trabalhados no grupo:

1º eixo- proporcionar o desenvolvimento do autoconhecimento que permite ao indivíduo conhecer melhor suas potencialidades, limitações e a identificar suas habilidades e dons.

2º eixo- promover a cidadania através de informações sobre a Lei de Cotas, Lei Brasileira de Inclusão e benefícios da Previdência. É um momento em que fazemos parcerias com outros profissionais como o Serviço Social.

3º eixo- Estimular a vida educacional e profissional dependendo do momento de vida do paciente. Aqui a individualidade e o desejo de cada um começam a ganhar forma. Neste momento fazemos parceria com o setor de Gestão de Pessoas da AACD em que realizam aulas e vivências relacionadas a entrevista profissional e desenvolvimento do currículo.

4º eixo- Orienta o conteúdo do grupo e chamado vida social. Aproveitamos o calendário de eventos da nossa cidade que realizam atividades sociais em prol da inclusão ou desenvolvimento profissional ,como por exemplo: Aniversário da Lei de Cotas, Feira de Reabilitação Reatech, Feira do Estudante, Emprega SP, etc.

DEIXE UM COMENTÁRIO

um × 2 =

Volatr ao topo